Patinete elétrico: o que pode e o que não…

0 8

Primeiro foram as bicicletas, que já fazem parte da paisagem com as cores chamativas. Agora é a vez dos patinetes elétricos se transformarem em opção de deslocamento na região central de Belo Horizonte. Com a ajuda da propulsão, fica um pouco mais fácil encarar os desníveis de uma cidade montanhosa. E dois aplicativos oferecem o novo meio de transporte: o pioneiro Yellow e o Grin, com valores conforme a distância percorrida.

Mas como funciona a circulação dos pequenos veículos no trânsito? É possível se juntar ao tráfego motorizado? Os dois aplicativos falam apenas na obrigatoriedade de “seguir as leis”. Pois para quem volta a andar de patinete anos depois das brincadeiras de infância ou tem o primeiro contato com as pequenas máquinas, é fundamental o esclarecimento: eles podem ser conduzidos apenas nas calçadas e travessias sinalizadas (dando prioridade aos pedestres); nas ciclovias e ciclofaixas. Em meio aos carros, motos e ônibus, nem pensar. No primeiro caso, não podem ultrapassar os 6km/h. No segundo, têm velocidade permitida de 20km/h.

20190403_090223

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais